Rússia atinge 63 alvos na Síria nas últimas 24 horas

Leia Mais:http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,turquia-confirma-que-investiga-estado-islamico-por-atentado-em-ancara,1778449
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no TwitterLeia Mais:http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,turquia-confirma-que-investiga-estado-islamico-por-atentado-em-ancara,1778449Leia Mais:http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,turquia-confirma-que-investiga-estado-islamico-por-atentado-em-ancara,1778449Leia Mais:http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,turquia-confirma-que-investiga-estado-islamico-por-atentado-em-ancara,1778449Caças russos atingiram 63 alvos na Síria nas últimas 24 horas, informou neste domingo (11) o Ministério da Defesa da Rússia.

Segundo o ministério, aviões Su-34, Su-24M e Su-25M partiram da Base Aérea de Hmeimim para atacar os alvos nas províncias de Hama, Latakia, Idlib e Raqa, em ações destinadas a combater o avanço do grupo terrorista Estado Islâmico na Síria.
De acordo com comunicado do governo russo citado pela agência de notícias France-Presse, os ataques destruíram 53 posições usadas pelos "terroristas", bem como um posto de comando, quatro campos de treino e sete depósitos de armamento.
A Rússia afirma que a campanha na Síria está afetando os combatentes do Estado Islâmico. Segundo o governo russo, as interceções nas comunicações mostram "pânico crescente" entre os terroristas.
O Observatório Sírio para Direitos Humanos, um grupo que acompanha o conflito, que já dura quatro anos, disse que o exército sírio e a milícia libanesa Hezbollah tomaram o controle de Tal Skik, uma área montanhosa na província de Idlib, depois de intenso bombardeio russo.
Isso deixa as forças do governo sírio mais próximas de posições dos rebeldes ao longo da principal rodovia que liga as principais cidades da Síria. A área é controlada por uma aliança rebelde que exclui membros do Estado Islâmico.
"Os próximos combates vão ser ferozes. Os russos estão usando uma política de terra arrasada e estão atingindo os alvos com muita acurácia, mas esta é uma batalha de sorte", disse Abu Hamed, o chefe da unidade militar de Jabhat Sham, um grupo insurgente que atua na província de Hama.
"Estamos lutando por nossa existência, e é por isso que nossos guerreiros mostram heroísmo e lutam por suas crenças contra os ocupantes russos", disse.
O exército sírio fez avanços partindo das cidades de Mourek e Atshan, na província de Hama, usando tanques, artilharia pesada e novos mísseis terrestres, ele disse.Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no TwitterAssine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no TwitterAssine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

Postar um comentário

0 Comentários